Portojóia reúne na Exponor setor que vale 700 milhões de euros de volume de negócios 20.09.2017
De 28 de setembro a 1 de outubro, relojoaria, joalharia e ourivesaria mostram vitalidade da indústria nacional
O volume de negócios gerado no comércio a retalho de artigos de ourivesaria, joalharia e relojoaria deverá rondar os 700 milhões de euros, indica um estudo feito pela Sigma Consulting para a Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP). Esta é assim uma fileira cada vez mais importante na economia nacional, tendo mesmo passado “em contraciclo pelo período de crise da economia nacional, altura em que atingiu uma taxa média de crescimento de perto de nove por cento”.

No que toca à abordagem aos mercados externos, a indústria da joalharia e ourivesaria apresenta-se num estágio muito distinto da indústria da relojoaria. Enquanto a primeira colocou, em 2015, menos de 15% da sua produção diretamente nos mercados internacionais, a indústria relojoeira nacional exportou mais de 85% do seu volume de faturação. De qualquer forma, a indústria da joalharia e ourivesaria tem estado, neste últimos anos, a fazer o seu caminho, sendo visível o aumento da sua orientação exportadora.

A Portojóia, o mais importante certame nacional do setor ourivesaria, joalharia e relojoaria, irá, uma vez mais, de 28 de setembro a 1 de outubro, na Exponor, contribuir para reforçar esta forte vertente exportadora, razão pela qual convidou para esta 28ª edição o Panamá. Estando este país estrategicamente posicionado na América Latina, é convicção de Amélia Monteiro, diretora da Portojóia, poder ser alavancado o estreitamento de relações comerciais entre os players da joalharia e relojoaria portuguesas e os países da América Latina. Aliás, elementos da organização «Mujeres Brillantes», grupo que promove o setor da ourivesaria pelo mundo, estarão no recinto da Exponor para participarem no workshop «América Latina, oportunidades no setor da ourivesaria», onde a vice-presidente da «World Jewelry», Hub Ali Pastorini, será oradora.

Jóias que contam histórias
«Jewels tell Stories» será o mote da edição deste ano da Portojóia. Histórias que iluminam vidas e momentos, através dos metais mais nobres e das pedras mais preciosas. Como sempre, uma série de atividades paralelas conferem uma dinâmica muito especial à feira, reforçando o cartel que este certame ostenta há muitos anos de principal montra dos profissionais de joalharia.

Outro dos grandes destaques desta Portojóia vai para a exposição de Olga Noronha, que conceberá uma exposição de carácter disruptivo, onde estarão presentes algumas das peças mais impactantes das suas coleções e que aliam a arte, moda e joalharia à sua forte componente de investigação.

O espaço “Trendspot - Exploration”, constitui outra das grandes novidades desta edição da Portojóia, este ano num formato com estreita ligação à moda, conta com trabalhos dos conceituados estilistas Pedro Pedro, Ricardo Andrez, e Susana Bettencourt, aqui serão ditadas as novas tendências, partindo de uma seleção cuidada e criteriosa, especialistas na área irão identificar as jóias que melhor projetam o futuro e as tendências para 2018/2019.

Por fim haverá a 2ª edição dos Prémios Best Of, uma espécie de globos da joalharia, é outra das grandes atracções. O evento pretende premiar e distinguir os melhores do setor da joalharia e ourivesaria em diferentes categorias: «Designer Revelação»; «Melhor Inovação»; Prémio Carreira»; «Melhor Montra»; «Melhor Loja Física»; «Melhor Loja on Line» e «Melhor Stand».
Fonte: MSImpacto – Comunicação e Assessoria de Imprensa
<< voltar