Expositores da PORTOJÓIA antecipam novidades 29.08.2012
A algumas semanas da exposição os expositores dão a conhecer algumas das suas novidades


A PORTOJÓIA é o expoente anual máximo do setor - momento onde se iniciam e fecham os grandes negócios da atividade, mas, também, fórum de tendências e conhecimento -, e, nele, a Torres & Ferraz pretende celebrar da melhor forma os seus 20 anos de existência, com o lançamento de duas novas coleções. Uma que deambula pela Rota do Românico dos vales do Tâmega e Sousa; uma outra que fez a criatividade rasgar o mar.

A centenária Topázio, líder nacional no segmento de artigos de mesa e decoração em prata, é outra das “históricas” da exposição. Chegará de imagem renovada e, para além de dirigir um foco especial para as últimas linhas de artigos de joalharia de uso pessoal, dará a conhecer algumas novidades nos serviços especializados prestados aos clientes, no quadro de uma «ampliação da área de atuação»… A Eugénio Campos Jóias, por sua vez, apresentará durante a PORTOJÓIA «novidades em todas as marcas» e surgirá com «mais uma insígnia» da firma… Para o empresário que dá nome à empresa, a feira é um momento comercialmente «crucial», que antecede as compras de Natal e em função do qual trabalha.

A Perestrelo & Cunha alinha pelo mesmo diapasão e chegará de “bagagem” bem aviada de novas séries. Nas pratas de uso pessoal, destaque para a conjugação de pérolas, marcassites e esmalte, e, nas filigranas, uma coleção a estrear, que prima pela «qualidade e desenho».

Não obstante o clima de retração económica geral, a administradora-executiva da J. Borges Freitas (representante de marcas de joalharia e relojoaria de elevada notoriedade internacional) tem expetativas em alta. Ana Freitas faz um balanço positivo de anos anteriores da PORTOJÓIA e revela-se otimista para esta edição. Percebe-se porquê: «O setor tem dados sinais positivos e, para a JBF, uma das melhores provas é o crescimento - em termos de vendas - registado em algumas marcas».

Com um percurso empresarial de 40 anos, a Belmiro Neves & Filhos foi ao “baú” procurar inspiração para homenagear a alta joalharia portuguesa. Isaías Lima Maria, sócio-gerente da empresa, revela que destacará durante a 23.ª PORTOJÓIA uma série de joias executadas manualmente por artesãos. No fundo, uma forma de celebrar os artífices lusos que vão dando «vida a peças únicas e que continuam a encantar ao longo dos anos».

Fonte: EXPONOR
<< voltar