Centro de Congressos quer crescer em 2012 28.02.2012
Não obstante o clima de contração económica, que também afeta o segmento de organização de eventos, o Centro de Congressos da EXPONOR espera receber durante este ano cerca de 240 iniciativas e movimentar 85 mil participantes, aproximadamente. Uma projeção que evidencia um crescimento de mais de dois por cento no número de eventos e de oito por cento no índice de congressistas.
Orientada para um mercado abrangente que tanto compreende realizações corporativas e empresariais chave-na-mão (conferências, colóquios, workshops, ações de formação, entre outros), até aos acontecimentos de índole artística (teatrais, musicais ou de dança), passando pelos de cariz recreativo, esta valência da Feira Internacional do Porto arranca este mês com um renovado esforço de marketing, com o intuito de fazer valer aqueles que são alguns dos seus créditos mais fortes.

«Centro de Congressos da EXPONOR: eis a melhor rota para colocar o seu evento no GPS dos negócios… A 10 minutos do ar. E a cinco do mar. Com os pés bem assentes em terra!» - é o posicionamento da estrutura, que dispõe de um grande auditório, dois auditórios complementares, seis salas polivalentes e um hall multiusos que, em simultâneo, possuem a capacidade de receber 1.800 pessoas em plateia, distribuídas por um global de 2.857 metros quadrados (servidos por um parque de estacionamento para duas mil viaturas).

Para o gestor da equipa de trabalho que coordena a atividade do CCE, Filipe Gomes, a «grande vantagem competitiva» da unidade é, para além da localização, a «polivalência do espaço», uma vez que, tanto pode acolher reuniões destinadas a 10 pessoas como, simultaneamente, «verdadeiros happenings que mobilizem perto de mil assistentes, no Grande Auditório», por exemplo. Tudo isto com uma vantagem acrescida, «e que pode fazer a diferença», nota o responsável da Feira Internacional do Porto: a EXPONOR dispõe ainda de seis pavilhões (e galerias adjacentes) com perto de 50 mil metros quadrados de área coberta alocáveis como tronco ou complemento de qualquer evento previsto para o Centro de Congressos.

A pensar no mercado nacional como principal cliente, o CCE pretende assim «reforçar a sua oferta através de salas chave-na-mão de 50 a 200 pessoas, em condições financeiras únicas», e, também, apresentar «soluções de business hosting e desenhar um «programa especial para receber eventos corporativos integrados», adianta Filipe Gomes.

Fonte: EXPONOR
<< voltar